BLOG

  • OS 10 MAIORES SINTOMAS DA DTM

    Os 10 maiores sintomas da DTM no Blog da Bausch
    DTM ou, mais precisamente, disfunção temporomandibular, é o nome dado à doença que afeta a musculatura encarregada pela mastigação, além da região da articulação temporomandibular – ATM. Existem dois tipos de DTM: a muscular e a articular. A muscular é identificada por forte dor na região da mandíbula ou pela característica excessivamente tensionada na musculatura da região. A articular, por sua vez, normalmente é causada por uma sobrecarga na articulação ou até por doenças como artrite ou osteoartrose. Apesar da alta frequência de pacientes que apresentam reclamações relacionadas à patologia, muitos ainda não sabem quais são seus principais sinais. O reconhecimento e tratamento prévio da doença pode prevenir várias complicações indesejadas. Por isso, listamos abaixo os dez principais sintomas da DTM:
    1. Dores frequentes no rosto e nos maxilares;
    2. Dificuldade para falar, mastigar ou abrir a boca para qualquer outra coisa, como bocejar, por exemplo;
    3. Barulho de “clique” ou estalos ao abrir e fechar a boca, como se estivesse travada;
    4. Bruxismo, identificado pelo ranger dos dentes;
    5. Pressão atrás dos olhos;
    6. Dor ou zumbido constantes nos ouvidos, assim como sons percebidos de forma abafada;
    7. Frequentes dores de cabeça, parecidas com enxaqueca;
    8. Inchaço nas laterais do rosto;
    9. Dificuldade para dormir, insônia;
    10. Dores no pescoço.
    Apesar das dicas de sintomas, vale ressaltar que o profissional adequado para identificar a DTM é o dentista. Ele irá realizar alguns exames clínicos, como palpação da musculatura e da articulação e detecção de ruídos, por exemplo. Feito o diagnóstico, o tratamento não é nenhum “bicho de sete cabeças” e pode ser realizado por meio de algumas técnicas, entre elas: placas de mordida, exercícios fonoaudiólogos, exercícios de fisioterapia, acupuntura, medicações para diminuir os sintomas e – em casos mais extremos – cirurgia. A última dica é simples: encontrados os sintomas, procure um especialista! FONTE: Revista Viva Saúde Saúde Abril  Gazeta do Povo Hospital INC  

    Facebook Comments