BLOG

  • Contatos prematuros e a má oclusão

    Contatos prematuros e má oclusão

    Como os contatos prematuros podem interferir na má oclusão?

    A origem etimológica da palavra oclusão está enraizada no Latim occlusione, cujo significado remete ao ato de fechar, ao fechamento. Entretanto, a má oclusão, ou apenas a oclusão como a estudamos hoje não está limitada somente a este movimento, mas refere-se a toda a dinâmica do Sistema Mastigatório, que envolve o abrir e fechar da boca, tanto ao falar, quanto durante a deglutição dos alimentos durante o processo de alimentação. E, para a sobrevivência do ser humano, este é um dos movimentos mais importantes, pois a fala está diretamente ligada à comunicação, e a alimentação é condição fundamental para a sobrevivência saudável do ser humano. Cada vez que se realiza uma restauração, prótese dentária, tratamento ortodôntico ou exodontia, o processo altera a oclusão seja em estática, em dinâmica, ou mesmo em ambos. A biomecânica do sistema mastigatório, mesmo com a evolução dos conceitos e da metodologia de ensino, ainda é um campo pouco explorado pelo cirurgião dentista. Pequenas interferências oclusais modificam a propriocepção do sistema mastigatório. Isto pode causar modificação na relação mandíbula maxila, o que pode resultar na ocorrência de uma desordem funcional do sistema crâniomandibular. Alguns dos efeitos são: sobrecarga nos dentes, periodonto, músculos e articulações. Nem todos os dentistas possuem uma preocupação diária, nos seus atendimentos, com relação à importância da oclusão. Apenas uma parcela destes profissionais já possuem um amplo entendimento a respeito do ajuste oclusal, que significa, ao mesmo tempo, entender a função do sistema mastigatório e as nuances das alterações presentes. O objetivo dos cuidados é a busca constante da estabilidade sustentável. É importante não apenas detectar, mas também evitar o aparecimento de desordem no sistema crâniomandibular. Pequenas interferências oclusais podem gerar grandes alterações no indivíduo. As desordens funcionais agudas, como apertamento e desgaste dentais, podem se tornar crônicas ao longo do tempo. Indivíduos com novas restaurações, coroas e outros tipos de próteses, ou ainda, após tratamento ortodôntico e que relatam sintomas típicos de DTM devem ser submetidos a um exame específico da oclusão. Contatos prematuros são frequentemente desconfortáveis, o que se explica pela resposta dos receptores frente a ação de pressão deste tipo de contato. O indivíduo buscará compensar a má oclusão, adaptando uma nova posição habitual, com consequências negativas às estruturas anatômicas, rompendo com a homeostasia dos tecidos.

    Interferência Oclusal

    A interferência oclusal, ou contato prematuro, pode ocorrer em quatro situações:  
    • Pode ser um contato que causa o desvio da mandíbula de RC para MIH;
    • Também o contato prematuro que não promove desvio;
    • O Contato prematuro em lateralidade;
    • E o contato prematuro em protrusão.
      Os contatos prematuros podem ser categorizados como patogênicos ou fisiológicos. No caso dos contatos prematuros patogênicos, ocorre quando sua presença ocasiona alterações nas estruturas que compõem o sistema estomatognático. O contato prematuro fisiológico, não promove nenhuma alteração nas estruturas do sistema estomatognático, independentemente da posição e do movimento m que ocorre. Na realização de qualquer trabalho restaurador, no entanto, as posições e os movimentos mandibulares devem ser consultados, para que não se promova nenhuma interferência oclusal, ou má oclusão, causando problemas por iatrogenia. Para garantir um bom acompanhamento, é importante realizar tratamentos preventivos com especialistas, para evitar consequências mais graves.

    Facebook Comments